13º salário: uma visão diferente

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

13º salárioO fim do ano tá chegando e algumas pessoas já receberam o 13º salário ou ainda vão receber. E não duvido que também já tenham feito planos de como gastar, aonde gastar e o que comprar: presentes, viagens, reforma da casa, etc.

Ok, isso tudo é válido e importante na nossa vida. Mas vou sugerir uma alternativa:

Que tal guardar o seu 13º salário numa poupança para o ano que vem?

Motivo: esse dinheiro fica sendo seu fundo de reserva para, caso haja alguma dívida inesperada, você ter de onde tirar dinheiro imediatamente sem precisar recorrer a nenhuma outra forma de empréstimo! E mais, rendendo uma taxinha de juros, que apesar de modesta, “protege” você contra a inflação! (para maiores detalhes: Poupança é um investimento?)

Além disso, esse dinheiro extra depositado na poupança pode também servir para você zerar suas dívidas (caso tenha contraído algumas agora em 2011), e também para quitar todas as dívidas que surgirão como IPTU, IPVA e pequenas despesas inesperadas!

Olhem só que interessante: durante o ano todo a gente vive sem o salário extra (e eventual participação nos lucros da empresa que se trabalha) e de repente temos o dobro do nosso salário no mês de dezembro. Será que precisamos gastar/utilizar esse salário com tanta urgência assim?

E se ajustássemos o nosso consumo e hábitos ao longo do ano para não depender disso?

Vejam que, ao acumular o 13º salário em alguma conta ou poupança dá a você um “colchão de liquidez” imediata. A compra de um presente inesperado ou até mesmo uma viagem que surge com uma bela oferta pode ser comprado/pago com essa gordurinha financeira a mais que você conseguiu guardar no final do ano. Ok, esse é o lado do gasto. Agora tente pensar no lado da geração de patrimônio.

Com o tempo, tendo esse hábito, fica mais fácil juntar dinheiro para qualquer outro objetivo, inclusive a compra da sua casa própria. Se você começou a trabalhar agora e a receber o seu salário, pense em guardá-lo de forma mais eficiente e racional. Quando ficarmos mais velhos, precisaremos dessa reserva acumulada ao longo dos anos.

Forte abraço!

😉