Quanto mais eu ganho, mais quero gastar

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Gastos além dos rendimentos“Quanto mais eu ganho, mais quero gastar!!”

É com essa frase que inicio esse post. Uma amiga me procurou para fazer essa colocação: quanto mais eu ganho, mais gasto. Ela não passou números para que eu pudesse esclarecer melhor o que ocorre com ela.

Mas vamos analisar melhor o caso ao longo do post. Gastar mais do que temos é relativamente comum para pessoas que não anotam suas entradas e saídas…

Porém, há alguns pontos bem conceituais de grande relevância, principalmente citado no post sobre cultivar hábitos e a parte 2 da série.

Nossa amiga começou agora seu primeiro estágio e está toda feliz com o seu ‘auto sustento’, haja vista que até então, vivia com a mesada que os pais davam a ela para suprir suas vontades e desejos. Quando conversamos, perguntei a ela: você está habituada a anotar tudo que você recebe e gasta?
Advinhem qual foi a resposta?

“Não!”

Já temos um problema bem mais fácil de se resolver do que parece.

Gastar mais do que recebe traz novamente à tona a importância de se tomar nota sobre ganhos e gastos; entradas e saídas.

Vamos imaginar que nossa amiga inicia o ano com salário de R$1000,00 e tenha despesas fixas, como contas de celular, salão de beleza x vezes ao mês, saídas a noite, gasolina do carro, taxi, alimentação, e que essas despesas somadas dão uma média de R$1100 mensais.

Ou seja, ela tem que tirar os R$100 que ela gastou a mais, de algum outro canto: poupança feita quando ela nasceu, dinheiro dos avós, dos pais… enfim, precisa se financiar de alguma maneira para zerar a sua dívida.

Porém, como coloquei acima, ela não anota as suas entradas e saídas. Durante o mês, ela só abre a carteira e vê que tem notas dentro da carteira, e acredita que tem o suficiente para todas as suas necessidades e vontades. Quando as contas começam a chegar, como contas de telefone, o dinheiro começa a faltar. E começa a dar aquela sensação de que o dinheiro é pouco.

Novamente, o dinheiro talvez não seja pouco. Mas o pouco nesse caso é a desatenção com o registro da entrada e saída de $ que facilitaria, e muito, a alocação devida do dinheiro. Recebendo os R$1000,00 no início do mês, no dia seguinte vá ao banco ou separe em um cofrinho, o dinheiro para as despesas do mês. Aí sim, você terá o seu orçamento livre e limitado para fazer o que quiser, e não cairá no problema da falta de dinheiro antes do fim do mês.

Forte abraço!

😉