Carro novo: analisando outros custos antes de comprá-lo (parte 2)

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Assistindo a um telejornal local esses dias, percebi que havia algo interessante a se apontar na hora da compra de um carro (seja zero km, seminovo ou até mesmo usado):

Custos de uso no cotidiano.

Já falei muito disso por aqui. Mas há um ítem que eu não havia apontado: o custo do estacionamento. 

Parece bobo, mas no centro do Rio de Janeiro, uma vaga alugada por 8 horas em dia de semana num estacionamento particular oscila de R$ 52 a R$ 80, em setembro/outubro de 2012.

carro

No mês, considerando 22 dias úteis, terá um pagamento mensal de R$ 1.144 (caso pare no estacionamento de R$ 52); ou R$ 1.760 (no caso do estacionamento de R$ 80). Aqui também cabe uma negociada com o estacionamento onde você pára rotineiramente e poder pagar uma mensalidade ao estacionamento, ou seja, alguns estabelecimentos oferecem pacotes que visam reduzir esse valor e ao mesmo tempo fidelizar o cliente. (Veja aqui um grande estacionamento do Centro do Rio de Janeiro, com seus preços – Terminal Menezes Cortes)

“Ah, mas eu posso parar na rua e não pagar nada ou dar um trocado pro flanelinha para poder parar o carro.”

Ok, pode e é provável que saia mais caro. Vou explicar.

Quando você estaciona na rua e um flanelinha “arruma as vagas pra você”, geralmente ele tem em mente o preço médio de uma vaga em algum estacionamento particular da redondeza. Logo, ele vai te cobrar um preço um pouco abaixo do estacionamento particular, apenas para incentivar você a estacionar “com ele”. Mas e se o carro for roubado? Quem garante? Ninguém. Até porque, a “atividade de flanelinha” é crime, e se ele arranjar uma vaga para o seu carro em algum local proibido e a polícia ou o poder fiscalizador chegar, o primeiro a fugir correndo é o próprio flanelinha. E o último a sair dali é o seu carro, só que rebocado.

E mais, correndo o risco de uma pequena arranhada no seu carro, um totozinho na hora da manobrada, uma arregaçada no freio de mão em função do empurra-empurra dos carros pra encontrar um espacinho na rua, são alguns dos pequenos problemas e situações que ocorrem com o carro que você suou para comprá-lo.

Já se você parar o carro num estacionamento particular, apesar de ser mais caro, o estabelecimento é 100% responsável pela integridade do seu carro. Tanto externamente quanto externamente. Se o seu carro for roubado, o seguro do estacionamento é acionado para ressarcir o seu prejuízo (considerando que o estacionamento tenha seguro, como é o caso de shoppings centers ou grandes estacionamentos nos centros urbanos).

Em suma, acredito que dei uma boa pincelada sobre estacionamento aqui nesse post. E deve ser muito bem considerado na hora de comprar um carro!

Ah, e sem contar que alguns edifícios/casas não possuem vaga própria de garagem. Tem que incluir, além de todo esse gasto diário com estacionamento particular, a mensalidade do estacionamento aonde o seu carro “dorme”.

Em suma, é preciso ficar esperto que pagar “barato” para colocar o carro na rua pode sair mais caro do que efetivamente pagar um estacionamento propriamente dito. Gastar 10 a 15 reais num estacionamento e ter a certeza que seu carro estará intacto, ou gastar 5 reais e colocá-lo na rua, com uma grande dose de incerteza e, caso ocorra algum prejuízo, o valor supere, e muito, do tempo que você teria ficado no estacionamento? Um arranhão, quanto custa para ser removido do seu carro? Depende da pintura e do modelo do carro. Mas certamente é maior do que o preço de um estacionamento!

Forte abraço,

😉