Contas: as vezes podem vir erradas… (parte 2)

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

contasSeguindo o assunto do post anterior (contas), gostaria de compartilhar um direito que todo cidadão tem. Se você já se deparou com uma conta ou fatura errada, de algum serviço que você não tenha contratado e está sendo cobrado em sua fatura, reclame. Ligue para a prestadora do serviço, reclame e exija que esta cobrança não seja efetuada. Caso seja, exija o estorno dessa dívida paga numa outra oportunidade.

E tem mais um detalhe, importantíssimo: quem tem que provar que você consumiu o serviço duvidoso é a prestadora de serviços, não você, cliente.

Para maiores dúvidas, vale a pena uma olhada no Código de Defesa do Consumidor. Ele não é grande, não se assustem. Tem 26 páginas mas é bem tranquila a leitura.

Exija sempre os seus direitos.

O primeiro e mais importante, quando chegam suas contas, é conferir ítem a ítem para verificar se você efetivamente os contratou. Depois, verifique se não há nenhum valor fora do que você tenha estimado ou acordado antes com a empresa que você comprou o serviço.

E mais ainda, procure se informar se o serviço prestado está sob jurisdição de alguma agência reguladora. Um exemplo é o setor de telefonia, que está sob regulação da ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações). Outro setor também sob regulação e que influencia fortemente nossa vida é o energético, regulado pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Caso haja alguma discordância ou alguma insatisfação com a sua operadora de telefonia, entre em contato com a operadora, registre a reclamação. Caso não seja solucionada no prazo de 5 dias úteis, ligue para ANATEL pelo telefone 1331 (de graça), com o número do protocolo do atendimento que a operadora de telefonia lhe forneceu durante o atendimento.

Outro ponto importante: tenha sempre em mãos um papel e caneta. Anote o dia, hora, protocolo do atendimento (essencial), a hora que a chamada foi completada e começa a tocar a musiquinha, a hora que você foi efetivamente atendido por algum atendente, e todas as informações úteis e necessárias que o funcionário da empresa lhe fornecer. Pode parecer maluquice num primeiro momento, mas quanto maior e mais preciso forem os seus dados na hora de alguma reclamação (ou eventual processo judicial), melhor.
E aguarde.
Espere a resposta.

Valerá a pena.

PS: no caso de uma reclamação feita na ANATEL, enquanto o problema/queixa não for solucionado, a empresa prestadora de serviço paga multa diária. Não tenho o valor aqui. Mas saiba você, consumidor, que pode dar aquela cutucada no bolso do empresário.

Fique sempre de olho nas suas contas! Para você que ainda não viu o primeiro post, clique aqui na parte 1 sobre esse assunto!

Ok?

Fica a dica pra vocês.

Forte abraço,
😉