Riqueza: o que precisamos ter em mente para acumulá-la?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Riqueza: algumas pessoas me perguntam como se faz para ficar rico. Algumas têm pressa: quero enriquecer rápido. Outras aceitam um tempinho para que isso aconteça.

Mas é raro ouvir alguém me perguntar: o que eu preciso saber e fazer para alcançar a riqueza desejada?

Primeiramente, eu gostaria de frisar aqui que:
Toda riqueza tem um preço. E custa caro.

A não ser que você ganhe na loteria ou receba uma herança tão gorda, como no caso do Jorge Guinle, você precisará trabalhar para acumular essa riqueza. Ou melhor: que tipo de novidade ou inovação, ou que falta que a sociedade tem e que você pode preenchê-la? Se você conseguir responder a esta pergunta de forma organizada e perceber que é possível colocá-la em prática, falta apenas percorrer o caminho. Porque o ponto inicial você já tem.


Digamos que você conseguiu um emprego que pague bem. Dê para se sustentar, sustentar a família e fazer suas extravagâncias. Mas ao final do mês, não sobra nem uma moeda para você tomar um sorvete. E aí eu te pergunto: você quer enriquecer como? Gastando todo o seu dinheiro? De onde você vai acumular riqueza? Afinal de contas, se você não tem nenhuma idéia inovadora, provavelmente continuará sem nada no fim do mês.

E se você puder abrir mão de um pouco da sua extravagância, ou alguma comida mais cara que poderia ficar para o mês seguinte, e pudesse guardar e aplicar esse dinheiro?
Esse é o preço da riqueza para aquele que não nasce em berço de ouro, como na maioria dos casos (inclusive o meu). Ou seja, precisamos abrir mão de parte do consumo hoje, para termos mais consumo amanhã.*

Batalhamos para receber um salário, para garantirmos o nosso emprego. Mas não batalhamos para guardar o nosso dinheiro, resistir às tentações cotidianas. Julgamos que a extravagância e o consumismo ajudam a atenuar as tensões que temos ao longo da semana de trabalho.

Então, por que pensar em riqueza, em ter e acumular, se você já gasta tudo no mês?

Gostaria apenas que, para se orientar, você mesmo refletisse sobre o que é riqueza para você. Qual é o seu conceito. O que isso significa para você. Durante boa parte da minha vida fiquei pensando se 1milhão de reais ou dólares é riqueza. Mas vi que 1milhão não dá pra fazer muita coisa. Ainda mais com inflação. 10 milhões… Mas novamente, é pouco… Então eu pensei: todo o dinheiro do mundo não será suficiente para me firmar como “rico”.

Com o passar dos anos percebi que, riqueza para mim, era o tempo necessário que eu tinha que gastar para juntar o dinheiro para comprar um objeto/serviço. Se eu posso agora mesmo descer e tomar um sorvete, então eu me considero suficientemente rico para tomar um sorvete sem ter que esperar e juntar dinheiro para comprá-lo. Se eu quero comprar um carro e tenho que esperar 8 meses para juntar dinheiro, então ainda não sou rico suficiente a ponto de me satisfazer o mais rápido possível.

Forte abraço!
😉

——————————————–

Nota:

* Para os que preferem matemática para explicar a idéia, considere a seguinte equação:

Cf = (1+i) x Cp

Cf = consumo futuro

i = taxa de juros de um período para o outro

Cp = consumo presente.

Ou seja, consumo futuro é igual ao consumo presente vezes alguma taxa de juros.

  • Samya Silveira

    Maravilhoso texto.