Loteria: por que não jogar na mega sena ou em qualquer jogo

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

loteriaGostaria de falar com vocês sobre loterias, como Mega-Sena, Super Sena, (…) e todas as outras “apostas”, vulgo “fezinhas” que fazemos nesses jogos para ficarmos ricos da noite para o dia. Não vou defender que esses sorteios são justos ou trapaceados. Vou apenas considerá-los justos e sem nenhum desvio, ou seja, justo. Vou usar a Mega Sena como parâmetro de comparação. Outros jogos, como a Super Sena, Quina, Raspadinha (tem no Rio de Janeiro) ou qualquer outra modalidade de jogo também seguem o mesmo raciocínio escrito adiante.

Primeiro, vamos falar das probabilidades: para cada 1 jogo na Mega Sena feito, pagando-se, atualmente, R$ 2,00, a possibilidade de vencer é de 1 contra 50.063.860, ou, para quem gosta de porcentagem, 0.000002%.


Bastante difícil de se ganhar nesse jogo.
Curiosidade: na roleta, “jogo de azar” no cassino, a probabilidade é 1 contra 38, ou em porcentagem: 2,6315%. Muito maior do que a Mega Sena.
Para refletir: por que a roleta, que tem maiores chances de ganhar, é considerada jogo de azar, enquanto a Mega Sena (ou qualquer outra loteria), que tem uma probabilidade infinitamente menor de ganhar, não é considerada jogo de azar?

Voltemos ao nosso assunto. Ok, já temos a nossa chance de ganhar na Mega Sena. Mas aonde quero chegar?

Considerando que João faça pelo menos 1 jogo a cada sorteio, ou seja, 2 jogos por semana, e 8 jogos ao mês (considerando mês com 4 semanas). Já que cada jogo custa R$2,00, por mês, o indivíduo gasta R$ 16,00 para ter a possibilidade exposta acima de ganhar alguma boa bolada jogando na loteria.

Do outro lado, Pedro deposita, todo mês, os R$ 16,00 em uma poupança, para que daqui a 30 anos ele tenha algum trocado ou até mesmo utilize-a ao longo do tempo como suavizador das oscilações em seu orçamento. Vamos considerar que Pedro não saca nada durante esses 30 anos, e que só deposita os R$ 16,00 nessa poupança, mensalmente.
Vamos as contas?

Durante 30 anos, João não conseguiu acertar NENHUM jogo. Ou seja, gastou R$ 5.760,00 (desconsiderando inflação no período) com uma micro possibilidade de vitória, que não ocorreu.
Por outro lado, Pedro tem o seguinte montante ao final dos 30 anos, considerando um rendimento da poupança de 0,5% ao mês:
R$ 16.072,24!!! Isso mesmo, dezesseis mil, setenta e dois reais e vinte e quatro centavos!!

Conclusão: João gastou R$ 5.760,00 para ter uma eventual chance de vitória (loteria), enquanto Pedro guardou e investiu o mesmo dinheiro e teve, de volta, quase o triplo, com um detalhe: ele tinha certeza do quanto teria ao final do período, já que estava aplicando o dinheiro em uma modalidade que lhe rendia juros ao longo do tempo!!

Ok, pode-se argumentar que dá para fazer mais de 1 jogo por volante, aumentando suas chances. Vou fazer os cálculos para que diminuam as dúvidas, sob as mesmas premissas acima:

Marcar mais um número no volante, de 6 para 7 números marcados, implica num aumento de 1 jogo para 7 jogos, devido a uma combinação matemática (não vou explicá-la aqui para não ficar grande e chato o post).
Assim, a possibilidade de vencer o jogo é de 1 contra 7.151.980, ou, em porcentagem: 0.000014%.

Cada combinação de jogo custa R$ 14,00. Por semana são 2 jogos e ao mês, 8. Logo o gasto mensal é de R$112,00.

João, no final de 30 anos gasta R$ 40.320,00 para ter a chance eventual de vitória.

E Pedro? Como fica nessa história toda, se depositasse os R$112,00 mensais na poupança? Em 30 anos, quanto ele sacaria?
R$ 112.505,69!! Cento e doze mil, quinhentos e cinco reais e sessenta e nove centavos!!

Conclusão final: enquanto João apostou durante a vida toda numa eventual possibilidade de ficar milionário, ou seja, em uma loteria, Pedro caminhou devagar, mas constantemente, na direção do acúmulo de riqueza.

Pensem nesse detalhe, se ao invés de gastarmos dinheiro investindo numa possibilidade infinitamente pequena de ficarmos milionários, direcionássemos nosso dinheiro para investimentos que nos dão maiores e mais consistentes possibilidades de retorno, como estaríamos no futuro? Provavelmente, teríamos com maior certeza, uma condição de vida mais confortável. Exceto se vocÊ for o felizardo que ganhou a bolada, o que é praticamente impossível de acontecer!

É sempre bom ter em mente que, quanto maior é o prêmio, com um investimento muito baixo, menor é a possibilidade de ganhá-lo!!

Forte abraço,
😉

———————————
Nota: o próprio site da Caixa Econômica oferece os dados para os cálculos. Há muitos sites na internet que também oferecem esse serviço. Se tiverem tempo e curiosidade, brinquem com eles e os resultados podem ser bem interessantes!

Loteria pode ser entendido como uma distribuição de probabilidade para determinado evento. Chover ou não chover é um tipo de loteria, com probabilidades para cada um dos estados. Quando se qualifica/precifica um seguro, utliza-se a Teoria das Escolhas Sob Incerteza, que usa o conceito de Loteria exaustivamente para tentar prever o resultado final esperado dos acontecimentos. Ou seja, dada uma certa loteria com suas distribuições de probabilidade, encontra-se um valor esperado que, na média, seja atingido. Uma cidade como o Rio de Janeiro, faz calor, na média. Isso é um exemplo de loteria.