Planejar a viagem é extremamente importante, antes que vire uma dor de cabeça

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

planejar a viagemPlanejar a viagem é uma tarefa difícil. A idéia aqui não é dizer qual é o melhor lugar ou o melhor hotel. Há sites muito bons para isso que indicam o melhor dia, a melhor passagem, aos menores preços, etc etc etc… Mas nenhum deles calculam o melhor orçamento para você ou até mesmo como otimizá-lo, a fim de ter uma viagem mais confortável e menos estresse quando o assunto é dinheiro.

É chato irmos a um lugar que sonhamos por um bom tempo e na hora H não podemos fazer o que queremos, como comer em algum restaurante ou visitar algum trecho da cidade porque não temos dinheiro para pagar a entrada ou o transporte. As desculpas para isso são bem criativas, mas muitas delas não são reais. O que ocorreu foi, de fato, a falta de planejamento para viagem em si. Nada além disso.

Ocupa tempo, sim. Mas é melhor perder um tempinho, com calma, enquanto se tem tempo e condições de escolha do que chegar em algum lugar desconhecido, apostando na sorte.

Planejar viagem é uma tarefa um pouco cansativa. Mas é necessária. Podemos seguir um pequeno roteiro que ajuda, e muito, a calcularmos uma estimativa para os gastos na cidade/local que pretendemos visitar.

Primeiro, precisamos verificar o hotel e os custos com passagem. Qual hotel ou albergue ou hostel? Vai ficar na casa de parentes? E a passagem? É avião, ônibus ou carro? Tem alguma troca de meio circulante? Vai sair do avião e pegar um ônibus? Ou vai sair do aeroporto para o hotel de taxi?

Reparem que os ítens acima (hospedagem, passagem e traslado ida + volta) são os custos fixos da viagem, podendo tomar boa parte do orçamento. Logo, nesse quesito, a única coisa que podemos fazer é escolher os melhores horários e dias que se adeqüem às nossas necessidades. De nada adianta planejar a viagem para um horário super contramão e se estressar.

Agora, o mais importante:  quantos dias você vai ficar nesse lugar?

A pergunta é essencial. E você deve ter esse número em sua mente. Ao planejar a viagem, podemos utilizar esse número para montarmos uma média de gastos diários. Complicou? Vamos a um exemplo, uma situação hipotética:

Eu, Leandro Marques, pretendo viajar para uma cidade aqui no Brasil, digamos, Fortaleza. O dinheiro que juntei para planejar a viagem é de R$ 2500 (dois mil e quinhentos reais). A passagem de avião está custando R$ 650,00 (ida+volta+traslados do aeroporto até o hotel, e do aeroporto do Rio até minha casa). O hotel está custando R$ 450 por 7 dias de estadia.

Logo, meus cálculos são: 2500 – 650 – 450 = R$ 1400,00

O resultado líquido após os custos fixos pagos é de R$ 1400 (mil e quatrocentos reais). Ok, e o que esse número quer dizer? Basta que eu divida esse número pela quantidade de dias que eu vou ficar: 1400/7 = R$ 200 por dia. Ou seja, na média, significa que, por dia, posso gastar 200 reais.

Se eu gastar em um dia mais do que 200 reais, em outro dia eu precisarei gastar menos. Ou seja, se eu cheguei em Fortaleza na segunda feira e resolvi gastar 250 reais logo no primeiro dia, fatalmente em algum outro dia (ou diluindo isso ao longo do resto da viagem), terei de reduzir meus gastos em 50 reais, que foi o excedente fora do orçamento. Assim, na terça feira, posso somente gastar 150 reais e retornar a média que tinha programado ao planejar a viagem.

Mais ainda, se você quiser ir calculando, diariamente, a sua média ao longo da viagem, basta somar o dinheiro disponível e dividí-lo pela quantidade de dias que ainda restam no lugar. Não é difícil. Ao acordar, após o café da manhã, colocar suas contas em dia, em 5 minutinhos, vão te poupar um estresse enorme depois.

Caso a sua viagem seja para o exterior, ou seja, com moeda estrangeira (dólar, euro, peso argentino, chileno…), o raciocínio é o mesmo, mas nos cálculos deve-se incluir a taxa de câmbio e fazer o cálculo de quanto $ (dinheiro local) terá disponível para gastar no país estrangeiro. Para os mais experientes, a taxa de câmbio tem pouca importância, já que têm maior facilidade na conversão e mensuração da quantidade ótima de dinheiro que devem carregar em moeda estrangeira, sem precisar ficar trazendo o valor de uma moeda para outra.

Enfim, ao planejar a viagem, tenha sempre em mente que passagem e hospedagem são custos fixos. Se você for a algum evento já pré programado, como alguma peça de teatro que só tenha naquele lugar (Ballet Bolshoi, ou algum jogo de Futebol Americano nos EUA), inclua-o também nos custos fixo. O saldo líquido remanescente é o que você deve utilizar para mensurar a sua viagem e fazer o cálculo das médias.

Ah, quando for planejar a viagem, olhe nos sites das companhias aéreas e nos sites dos hotéis. Veja o decolar.com e o hoteis.com. Podem te ajudar com boas informações e eventuais compras!

Boa viagem!

Forte abraço!

😉

____________________________________________________________________

Nota: para o cálculo da média ao planejar a viagem, utilize a fórmula:

(R – Cf) / nº de dias no local; R = orçamento da viagem; Cf = custo fixo com hospedagem e passagem.

  • Acho que uma coisa que as pessoas pensam pouco é o gasto com transporte e comida(lanches). Nem tanto com gastos supérfluos ou gastos como hotel e ida e vinda do hotel. Muitas vezes as pessoas só calculam os gastos principais (hospedagem e ida e vinda do hotel) e possíveis compras. E esquecem de calcular gastos do dia-a-dia: Gastos com entradas de pontos turísticos, transporte entre hotel e ponto turístico. Claro que, quando a viagem é para o próprio país, sabemos intuitivamente desses detalhes, mas no exterior nem sempre temos essa idéia.