Poupança separada da conta corrente ajuda a guardar mais dinheiro

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

poupançaAlguns bancos oferecem a conta corrente diretamente vinculada a uma poupança. Ou seja, o dinheiro que fica parado na sua conta corrente por mais de 30 dias, tem a remuneração da poupança. O que é um bom sinal, tendo em vista que isso ajuda a reduzir os custos  associados à manutenção da sua conta corrente e outros encargos, como talão de cheques, anuidade do cartão de crédito, etc etc. Mas se alguns bancos oferecem isso, por que seria interessante termos uma poupança totalmente desvinculada da nossa conta corrente? Ou seja, pode até ser na mesma agência da mesma instituição financeira, ou se quiser, em outro banco, outra agência… Tanto faz. O importante é que a sua conta poupança esteja separada da sua conta corrente. Se você é daqueles que não tem muito controle sobre o seu dinheiro, e quando pega o extrato/saldo da sua conta corrente e verifica que o salário foi depositado e só guarda o que sobrar, esse post será interessante como uma nova estratégia a ser adotada. O que muda nesse processo é a inversão da idéia: ao invés de guardar o que sobra, ao final do mês, guarde uma quantia pré estipulada por você no início do mês. Recebeu o salário de R$ 1000 e acha que guardar R$ 200 por mês é suficiente? Então ao receber o seu salário, envie imediatamente os R$ 200 para a sua poupança e deixe lá. Caso você não faça isso, é preciso muito controle para que você chegue ao final do mês batendo a sua meta: deixar R$ 200 na minha conta corrente para um futuro investimento (poupança, fundos, ações, CDB, títulos…), pois no extrato, esse valor vai ficar brilhando e cantando no seu ouvido: me use, me abuse… Sou todo seu!!!E o que você quer evitar é EXATAMENTE isso. Ok, depois de passado um tempo, segui essa metodologia e consegui, de fato, ter uma boa grana depositada na poupança, rendendo uma merreca, que não dá nem para comprar um sorvete na esquina. Pra que que eu fiz isso? Pelo simples fato de:

  1. Ter dinheiro guardado sempre que precisar para alguma eventualidade não prevista, como a compra de remédios caros para a cura de alguma doença inesperada ou o pagamento de alguma dívida inesperada (colchão de liquidez*);
  2. Se proteger da inflação, já que parte do rendimento da poupança ajuda a reduzir a perda do poder de compra com a inflação;
  3. Ter maior controle sobre o seu dinheiro;
  4. Com esse dinheiro guardado, caso não tenha nenhum uso planejado para ele, poder alocá-lo em investimentos mais arriscados e, consequentemente, mais rentáveis, como ações, imóveis, etc;
  5. Quem guarda, sempre  tem“;
  6. Liquidez imediata, bastando chegar no caixa eletrônico e sacar a quantia desejada.

Em suma, guardar o dinheiro na poupança e não utilizar este dinheiro para tomar um sorvete na esquina é um grande passo para você começar a ter maior controle sobre a sua riqueza. Posteriormente, vale a pena refletir sobre os possíveis destinos desse dinheiro no futuro, como investimentos mais arriscados, ou, caso você seja mais conservador, manter a poupança como uma forma de liquidez imediata para qualquer finalidade.

Para verificar o rendimento da poupança em qualquer período do tempo, acesse este site!

Forte abraço!

😉

_____________________________________________________________________________________________

Nota: *Colchão de liquidez é um conceito utilizado em Economia para a regulação das instituições financeiras, onde exige-se maior quantidade de capital próprio dos bancos quando concedem empréstimos. Além disso, ajuda o banco a ter maior robustez a momentos de crise, já que, com maior capital próprio (maior liquidez), fica mais fácil honrar seus pagamentos e compromissos, evitando assim uma corrida bancária. De maneira semelhante, o que pode ser igual para nós, indivíduos, seria a poupança.


  • Achei muito bem escrito o post.
    Na verdade, eu já sabia dos benefícios do pq se fazer uma poupança, mas de fato não havia pensado desse jeito sobre ter uma conta poupança separada.

  • Leandro Marques

    Se a pessoa for controlada, não tem muita necessidade de ter uma conta poupança separada da sua conta corrente. Pode direcionar os recursos como se a poupança já existisse. Mas isso só faria sentido se a conta corrente fosse uma conta remunerada.

    Eu particularmente prefiro ter a poupança em separado para que eu tenha mais controle e funcione também como um colchão de liquidez. Se eu não for usar o dinheiro no mês, rende um cacareco lá da remuneração da poupança. Caso use, saco com liquidez imediata.